Um estudo de um hospital americano, publicado no Journal of Hospital Infection, diz que barba produz uma nova forma de antibiótico. E esse organismo se desenvolve especificamente nas barbas.

A pesquisa contou com a coleta de material dos rostos de 408 funcionários do hospital com e sem pelos faciais. Eles descobriam que os funcionários barbeados tinham três vezes mais a “superbactéria” (Staphylococcus aureus), a grande responsável por enorme parte das infecções hospitalares.

É provável que então que o agente presente nas barbas esteja matando bactérias.

Adam Roberts, microbiologista baseado no University College London, foi consultado pela BBC sobre o assunto. Eis o resultado:

Adam identificou os assassinos silenciosos como parte da espécie chamada Staphylococcus epidermidis. Quando o médico testou-os contra uma Eschercichia coli, bactéria que causa infecção urinária particularmente resistente a medicamentos, o Staphylococcus epidermidis matou-a sem dó.

Seriam as barbas uma nova fonte de antibióticos? É possível acreditar que sim.

COMPARTILHAR